sexta-feira, 24 de julho de 2009

* CRIS GUERRA *


* Criativa e original, Cris Guerra criou um blog representado sua criatividade em se vestir. Ela posta oque usa no dia-a-dia, com isso atingiu maiores degraus no mundo fashion se tornando um icone no mundo da Moda, estando em resvistas e blogs alheios. Mais além de "herself stilist" ela ainda é escritora, sensível e expressiva escreveu o livro "Para Francisco".
No livro "Para Francisco", Cristina Guerra reúne trechos do blog (real) que criou para seu filho após a morte de seu marido, aos sete meses de gravidez. O livro foi lançado pelo selo ARX, da Saraiva.


Leia abaixo um trecho de "Para Francisco":


Minha mãe nunca me escreveu um livro para contar quem era meu pai. No entanto, foi pelos olhos dela que o vi por muito tempo. Era ela quem fazia a ponte entre nós. Depois que ela se foi, eu e ele finalmente nos conhecemos.

Você também verá seu pai pelos olhos da sua mãe. E é esse que vai levar para a vida. Espero que eu consiga fazer com que você sinta o pai que teve. E que possa sentir saudades dele, como ele sentia da minha mãe, do meu pai, da minha avó, mesmo sem tê-los conhecido. Como é o sentimento doce que tenho pelo meu avô, pai da minha mãe, que nem ela pôde conhecer.

Começo pelo fim. Depois da morte do seu pai, meu coração me contou minha própria história, seguindo a ordem do que para ele era mais importante.

Escrevi. Movida por uma angústia e por um medo.

A angústia de não poder falar com seu pai nem com você, pois ele tinha acabado de ir e você tinha acabado de chegar. O medo de ver fugirem as palavras que me vinham naquele turbilhão. A angústia de amar um homem e querer que o mundo inteiro também se apaixonasse por ele. O medo de você se perder da sua origem.

Escrevi para não esquecer.

Enquanto fiz isso, eu e você perdemos algum tempo de convivência. Dei a minha presença em troca da companhia do seu pai. Para que você pudesse levá-lo aí dentro.

Talvez eu tenha escolhido amar de novo, sofrer por mais tempo e com mais intensidade. Para que você tivesse direito a ele. Eu precisava lhe dar o seu pai de presente, filho. Se pudesse, faria o mesmo por ele, para que ele também pudesse sentir o milagre que é ter você.

Talvez, por confrontar a morte tão cedo, venha a ansiedade para dizer tudo. Talvez, por ter sido obrigada a desbravar meus próprios caminhos, venha a vontade de deixar uma espécie de mapa.

Essas cartas só vão ser lidas por você daqui a alguns anos. Mas tive urgência em escrevê-las. Aprendi que os fatos mudam à medida que nos distanciamos deles.

Você tem em suas mãos um quebra-cabeça. Juntando as peças, o resultado sou eu.

Leia como quem assiste a um filme. Com a alma livre. E saia com a sensação de alegria de quem conhece uma história, sem se apegar a ela - levando só o que ela tiver de melhor. Saia como quem ganha um presente. Mas um presente leve, pra não pesar na sua viagem. Quem sabe, um dia, você mesmo me conte alguma coisa sobre seu pai.

Eu amo você, filho. De coração gordo, como dizia seu pai. E isso sempre vai ser verdade, não importa em que data você o esteja lendo.


******

Bom, fica ai a dica do dia, espero que gostem e comentem...

*** SEMANA QUE VEM ESTAREI POSTANDO FOTOS NOVAS DO MEU TRABALHO!!!

AGUARDEM...

Bjos Miss Mallaguetta.

Um comentário:

Edu SP disse...

Olá,
Bom dia, mas bom dia mesmo !!
Adorei seu blog, ótimos comentários e excelente conteúdo !!
Se tiver um tempo e puder visitar meu blog, deixe um comentário sobre o que achou !!

Bjs, do Ricardo Jansen
www.loucoporpes.blogger.com.br